MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA DA ÁREA 

    Amar e Servir Uns Aos Outros

    Pass-a-Long Cards

    'O Senhor está colocando as pessoas em cada um dos nossos caminhos e nos usará como Suas mãos se fizermos a nossa parte. Através dessas experiências aparentemente comuns, muitas vidas podem ser abençoadas de maneiras extraordinárias.'

    Em todos os lugares da nossa  área, vemos membros fiéis com uma cópia do Plano de Área em um pequeno cartão em seus bolsos ou dobrado em suas escrituras. Uma das três prioridades do Plano de Área é “Amar e Servir uns aos Outros”. Essas seis palavras descrevem lindamente o que significa ser um discípulo de Jesus Cristo e como podemos segui- Lo. O Plano de Área nos dá dois objetivos específicos sobre como mostrar nosso amor pelos outros e como servi- los.

     Eles são:

    1. Alcançar membros da Igreja, um por um, resgatando aqueles que estão menos ativos

     2. Compartilhar o Evangelho com aqueles que não são de nossa fé 

    Esses objetivos são simples e tenho um testemunho de que o Senhor nos abençoará, conforme os fazermos parte de nossas orações e de nossas vidas diárias. Aqui está um exemplo pessoal.

    Compartilhando o Evangelho com aqueles que não são de nossa fé

    Adoro levar cartões de amizade comigo e convidar as pessoas a se encontrarem com os missionários. Alguns meses atrás, eu estava jantando em um lugar de “fast food” e comecei a conversar com um ótimo rapaz que estava servindo a nossa mesa. Collin é de Zimbabué e eu mencionei que eu tinha ido recentemente à igreja em Harare e o convidei a conhecer mais sobre a igreja. Ele disse que tinha um irmão que há anos atrás o tinha levado para a igreja SUD em Harare e que ficaria satisfeito em conhecer os missionários. Seu irmão havia falecido e Collin claramente tem uma dor em seu coração e alma que só o evangelho iria preencher. Na próxima vez que me encontrei com o Collin, ele estava animado e me contou sobre sua visita com os missionários e tinha uma luz maravilhosa em seu semblante.

    Resgatando aqueles que estão menos ativos

    Collin, em seguida, partilhou que há mais de dez anos atrás ele foi para a igreja e que realmente se tornou um membro. Ele frequentou por uma temporada com seu irmão mas não tinha voltado por muitos anos e não se lembrava muito sobre os ensinamentos. Em outras palavras, ele era o que às vezes chamamos de membro menos ativo. Nós o convidamos para frequentar a igreja no domingo seguinte e, com grande expectativa, o encontramos fora da capela para que ele pudesse ter alguém com quem se sentar durante a reunião sacramental. Os membros da ala foram amigáveis e acolhedores, as aulas bem ensinadas e cheias do Espírito e Collin expressou o desejo de voltar.

    Alcançar um por um 

    Na próxima semana, Collin  vestiu- se com sua melhor roupa de domingo. Ele foi recebido por um  maravilhoso líder da missão da ala  que estava especialmente à sua espera, cumprimentou- o calorosamente e começou a apresentá- lo aos outros. Muitos líderes da ala e membros receberam Collin com amor e bondade, e ele agora está progredindo em sua jornada para plena atividade, levantado e empolgado ao participar da ordenança do sacramento e apoiado por membros e líderes carinhosos em sua ala. Ele também está sendo grandemente abençoado pelo conhecimento do Plano de Salvação que nos assegura a natureza eterna das famílias e que ele e seu irmão estarão juntos novamente. 

    Esta experiência simples é repetida todas as semanas em toda a nossa área à medida que os membros alcançam, um por um, ambos os membros menos ativos e aqueles que não são de nossa fé. O Senhor está colocando as pessoas em cada um dos nossos caminhos e nos usará como Suas mãos se fizermos a nossa parte. Através dessas experiências aparentemente comuns, muitas vidas podem ser abençoadas de maneiras extraordinárias. Por exemplo, depois de sua segunda vez na igreja, Collin decidiu compartilhar o próprio evangelho ao estender a mão e convidar um amigo também para vir à Igreja.

    Em seu belo livro, Um por Um, o Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos diz: “Acredito que, no trabalho do Senhor, não existe coincidência. E as ternas misericórdias são orquestradas divinamente por Deus, porque o valor das almas é grande à vista de Deus”. Por isso, creio com todo o meu coração que encontrar Collin não foi uma coincidência, mas uma terna misericórdia do Senhor por causa do seu grande amor por um dos seus preciosos filhos que haviam entrado na inatividade  e se perdera. 

    Um ano atrás, o presidente  Thomas S. Monson deu aos anos setenta este pedido: “Ao conhecerem os membros, enfatizem a importância de alcançar àqueles que, por qualquer motivo, entraram em inatividade parcial ou completa. Estou confiante de que muitos irão receber o convite para voltar. À medida que os indivíduos são trazidos de volta à alegria do evangelho de Jesus Cristo, as vidas serão abençoadas e as almas serão salvas.

    O catalizador nesse processo de ajudá- los a retornar sempre foi — e continuará a ser — o princípio do amor. Desejamos que todos os que estão presos na inatividade recebam as bênçãos sagradas e espirituais que os aguardam quando retornarem.”

    Nós o convidamos a seguir o Salvador, alcançando um por um, compartilhando o evangelho com aqueles que não são de nossa fé e resgatando aqueles que estão menos ativos. Nós sabemos que também verá ternas misericórdias quando o Senhor orquestrar seu trabalho e abençoar os outros através de si. Lembre- se de que o valor das almas é grande à vista de Deus. E quão grande será a sua alegria pela alma que se arrepende e retorna a Ele.