MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA DA ÁREA

    Estar Uns com os Outros e Fortalecerem-se: Um Exemplo de Visita de Ministração

    JESUS AND LAMBS

    'Questionamos de que maneira a ministração seria o mesmo ou diferente da visita de mestres familiares e decidimos que poderíamos aprender com uma visita de ministração simulada.'

    Vários meses atrás, a Irmã Sitati e eu estávamos na casa de uma família de membros. O tema de ministração, anunciado pelo presidente Nelson, surgiu. Jack, o pai (não o seu nomeverdadeiro), se perguntou de que maneira a ministração seria o mesmo ou diferente davisita de mestres familiares. 

    À medida que a discussão avançava, a Irmã Sitati sugeriu que fizéssemos uma visita simulada de ministração e aprendêssemos com esta. A sugestão foi aceite e então a Irmã Sitati e eu nos tornamos uma dupla de irmãos ministradores e a família de seis pessoas–incluindo (não seus nomes reais) Jack, a mãe Cindy, Amos, o filho de vinte anos, Winnie, a filha de dezesseis anos, Paul, o filho de treze anos e Charity, a filha de nove anos de idade–tornaram-se a nossa família designada para o propósito da visita simulada de ministração. 

    A conversa foi algo assim: 

    Élder Sitati: Jack, Cindy e filhos, a Irmã Sitati e eu estamos muito felizes de termos sido designados como seu irmão e irmã ministradores. Obrigado a todos por estarem disponíveispara se reunirem conosco hoje, em vossa casa. 

    Irmã Sitati: Depois de orarmos sobre isso, sentimos que nesta primeira visita de ministração, queremos explorar junto a vós, onde estão neste momento, temporal e espiritualmente, como uma família e individualmente e onde gostariam de estar. 

    Cindy: Acho que temporalmente, o Senhor nos tem abençoado e estamos muito gratos. Muito francamente, estamos todos em lugares diferentes em nosso progresso espiritual, e assim cada um de nós provavelmente terá uma resposta diferente para a questão de onde nós estamos. 

    Élder Sitati: Vamos começar com a oração familiar. Como vocês se sentem sobre como a oração familiar está a decorrer? 

    Jack: Nossos horários são loucos. Durante a maior parte da semana, por causa das diferentes atividades em que estamos envolvidos, alguns de nós estão a chegar—enquanto outros estão a ir—e é difícil encontrar tempo para estarmos juntos para a oração familiar. 

    Irmã Sitati: Como vocês se sentem em continuar assim? 

    Jack: Claramente, podemos fazer melhor. Queremos fazer melhor. Hoje, por exemplo, conseguimos coordenar nossos horários para que todos pudéssemos estar aqui neste momento para a vossa visita. Então, vamos tentar coordenar melhor, para estarmos juntos com mais frequência. 

    Élder Sitati: Como podemos ajudá-los a estarem melhor coordenados como uma família? 

    Cindy: Eu adoraria se a Irmã Sitati pudesse ligar de tempos em tempos e perguntar como vai a oração em família. 

    Irmã Sitati: E a leitura diária do Livro de Mórmon? 

    Cindy: Acho que a mesma abordagem com a oração vai funcionar. 

    Élder Sitati: Existem outros aspetos do seu discipulado que vocês desejam melhorar como família? 

    Jack: A Cindy é bastante diligente com a frequência ao templo, e as meninas quase semprevão com ela para fazer batismos pelos mortos. Tenho sido um pouco descuidado e não tenho uma recomendação atual para o templo, nos últimos meses. 

    Élder Sitati: Como podemos ajudar? 

    Jack: A sua pergunta é suficiente! Vou me arrepender e reunir-me-ei com o bispo napróxima semana. 

    Irmã Sitati: E se pudéssemos planificar irmos ao templo juntos, com a sua família? 

    Winnie: Winnie: Eu adoraria isso! 

    Cindy: Jack, gostaria que víssemos algumas datas possíveis? 

    Jack: Sim, com certeza. Podemos coordenar isso pelo telefone. Mas a primeira semana dopróximo mês parece uma boa possibilidade. Eu terei renovado a minha Recomendação para o Templo, até então. 

    Élder Sitati: Amos, você tem estado quieto. Como vão as coisas consigo? 

    Amos: Bem, não sei. Não pareço sentir algo sobre alguma coisa ultimamente. 

    Irmã Sitati: Quais são as coisas que captam o seu interesse, em que você acha que está geralmente totalmente envolvido? 

    Amos: Gosto de andar de bicicleta, especialmente subindo e descendo trilhos de montanhas. 

    Élder Sitati: Um dos nossos filhos gosta de andar de bicicleta nas montanhas comopassatempo. Ele é um membro de uma comunidade nacional de ciclismo na Internet em quevocê poderá se interessar. Ficaremos felizes em conectá-lo a ele. 

    Irmã Sitati: Amos, o bispo mencionou que você tem pensado em servir uma missão, ultimamente. 

    Amos: Sim, mas não tenho certeza. Não quero ir só por causa do bispo ou dos meus pais! 

    Irmã Sitati: Você não precisa. Já considerou o convênio que fez com o Senhor quando recebeu o sacerdócio? O que prometeu que faria pelas bênçãos que o Senhor lhe oferece como portador do sacerdócio? 

    Amos: Servi-lo. 

    Élder Sitati: E de Morôni 7:13 e 7:17, você pode aprender por que não tem certeza sobre servir e depois faça algo a respeito disso. Gostaria de ler e me informar o que descobriu? 

    Amos: Certamente. Posso lhe mandar uma mensagem? 

    Élder Sitati: Sim, claro. Aqui está o meu número de celular. 

    Irmã Sitati: E vocês, Winnie, Paul e Charity? Estão a trabalhar em algum objetivo espiritualpessoal? 

    Winnie: Estou a trabalhar em algumas metas do Progresso Pessoal. A Mãe está a ajudar-me. 

    Irmã Sitati: Excelente! (Olhando para Paul) 

    Paul: Rapazes não fazem Progresso Pessoal! 

    Élder Sitati: Você está certo Paul. Eles fazem outra coisa. 

    Paul: No ano passado, um dos professores falou sobre ‘Dever para com Deus’. Quando eu olhei para o livro, as coisas lá eram chatas! 

    Élder Sitati: A maioria das coisas são entediantes até que nos interessamos e realmente as experimentamos. Então o Espírito Santo pode nos ajudar. (Olhando para Jack) Eu tenho certeza que o pai pode te ajudar. 

    Jack: Com certeza. Eu deveria ter feito isso antes, mas minhas prioridades estavam meio de cabeça para baixo. 

    Charity: Na Primária, estamos a memorizar as Regras de Fé. Posso dizê-los sem ler até a Regra de Fé número sete! 

    Irmã Sitati: Excelente! (Levanta-se e abraça Charity) 

    Élder Sitati: Bem, esse é o fim da nossa curta visita de ministração simulada ao lar. O quevocês acham? Todos vocês sairam-se tão bem! 

    Uma discussão espiritual seguiu no méritos da abordagem ‘ministrar como o Salvador’versus ‘a visita de mestres familiares baseada em mensagens’. 

    Cada família ou pessoa a quem ministramos é única e tem um conjunto específico de necessidades. Nosso papel como ministradores é—sob a influência do Espírito—descobrir essas necessidades, oferecer algumas soluções e comprometer-se, conforme necessário, com os novos comportamentos. A visita acima simulada é apenas uma maneira pela qual os irmãos(ãs) ministradores(as) podem aprender os seus deveres e cumprir as responsabilidades sagradas com as quais fomos confiados. 

    PS: Enquanto reflitia sobre essa verdadeira experiência de tempos em tempos, desde que cheguei na Área da África Sudeste, sinto que a nossa conversa com Jack, Cindy e a famíliapoderia ter sido grandemente enriquecida se tivéssemos usado um recurso como o cartão tamanho de bolso do Plano da Área de 2019 que foi fornecido para todos os membros. 

    Recomendo este cartão com suas três prioridades e nove metas a todos, para usar em nosso discipulado pessoal, bem como em nossos esforços de ministração. É um excelente lembrete e padrão de como podemos aprofundar nossa própria conversão e estar uns com os outros e fortalecermo-nos.