MENSAGEM DE LÍDER LOCAL DO SACERDÓCIO

    Presentes de Natal: Amor e Perdão

    Gifts of the Three Wisemen

    'Ao contemplar em oração, os presentes de Natal que gostaríamos de oferecer aos nossos familiares e amigos neste momento, pode haver alguns a quem devemos talvés considerar dar presentes duradouros que não custam dinheiro – e que não precisam de embrulho e fitas caras.'

    A noite de Natal sempre foi um momento divertido em nossa família e, entre as nossas tradições familiares, os nossos filhos encenavam a história de Natal durante a juventude. Vestiam-se como Maria e José, os pastores, alguns dos animais, os três reis magos e os anjos. Era uma atividade divertida que permitiu-nos, como família, concentrarmo-nos no verdadeiro motivo da época, que é celebrar o nascimento do nosso Salvador e Redentor, Jesus Cristo.

    Quando a manhã de Natal chegava, as crianças eram normalmente as primeiras a acordar. Elas se apressavam ao redor da árvore de Natal para ver que presentes haviam sido colocados lá para elas. Grande emoção, riso, alegria e felicidade abundavam quando elas abriam os seus presentes –  um por um – com sorrisos de alegria de orelha a orelha. Estes eram momentos muito felizes e amorosos que me lembro com carinho, como nossos filhos cresceram.

    Ao pensar nos presentes que normalmente damos e recebemos no Natal, meus pensamentos voltam-se para os primeiros presentes materiais associados ao nosso Salvador, Jesus Cristo, que são refletidos biblicamente em Mateus 2: 10-11: “E vendo eles a estrela, alegraram-se muito com grande alegria. E entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram dádivas: ouro, incenso e mirra.”

    O dar e receber presentes na época de Natal servem para lembrar a todos nós dos presentes dos Magos à Cristo na ocasião de Seu nascimento.

    No entanto, hoje em dia, com a comercialização do Natal, é lamentável que Cristo seja frequentemente deixado de fora do Natal e nosso foco seja colocado então, no presente e não no doador do presente. Talvez aceitemos os presentes que recebemos de nossos entes queridos, e corremos o risco de nos tornarmos mais materialistas em nossas expetativas, e então, acima de tudo, os presentes materiais que compramos e damos às crianças às vezes não duram tanto tempo assim – e muitas vezes são descartados na lixeira antes do fim do dia.

    Em um sentido espiritual muito real, o maior presente que recebemos do Pai Celestial é o presente do Seu Filho, Jesus Cristo – e Sua Expiação sagrada foi o ato supremo de amor e perdão.

    Talvez, enquanto contemplamos em oração os presentes de Natal que gostaríamos de dar a nossos familiares e amigos neste momento, pode haver alguns a quem devemos considerar dar presentes duradouros que não custam dinheiro – e que não precisam de embrulho e fitas caras. Tudo o que precisam é o dom do nosso amor, o dom da nossa tolerância, o dom do nosso coração, o dom da nossa compreensão, o dom da nossa caridade, o dom do nosso bom exemplo, o dom da nossa bondade, o dom da nossa generosidade, o dom do nosso falar 'bem' deles, o dom de sermos mais pacientes com eles, o dom de não guardar rancor, o dom do nosso tempo, o dom do serviço altruísta conosco a levantá-los, o dom da nossa amizade, o dom do nosso carinho e o dom do nosso perdão para eles. Estes são o que chamo de “boas e perfeitas ofertas” como mencionado em Tiago 1:17: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são do alto, e desce do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.'

    Há muitas famílias e indivíduos no mundo que não vão ter um Natal feliz e alegre este ano, devido à falta de amor e perdão de um cônjuge, membro da família ou amigo. O Salvador disse: “Portanto, digo-vos que vos deveis perdoar uns aos outros; pois aquele que não perdoa a seu irmão suas ofensas está em condenação diante do Senhor; pois nele permanece o pecado maior.” (D&C 64:9) Ele também disse: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento”, Mateus 22:37 e no versículo 39: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo ”

    Que melhor momento haveria para nós darmos o presente de amor e perdão àquele que nos ofendeu do que na época do Natal? Que melhor momento haveria para nós ajudarmos a curar uma família com amor e perdão, do que na época do Natal – quando isso é tão necessário?

    Devemos também lembrar que quando amamos e perdoamos os outros, perdoamos-lhes o mal que nos fizeram. Não temos a capacidade ou a habilidade de perdoá-los de seus pecados – somente nosso Pai Celestial e o Salvador podem fazer isso. Portanto, o nosso perdão não descarta a necessidade deles se arrependerem e buscarem o perdão do Pai Celestial, e que o bispo os ajude nesse processo, se a transgressão for séria.

    O Presidente Gordon B. Hinckley lembrou-nos do seguinte: “A cura para a maioria dos problemas conjugais não se encontra no divórcio. Encontra-se no arrependimento e perdão, em expressões de bondade, [amor] e preocupação”.

    Em Mateus 5: 43-44 lemos o seguinte: “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo, eu vos digo, porém: Amai vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem”.

    Este é provavelmente um dos mais difíceis mandamentos que nosso Salvador deu a cada um de nós para viver, e é tudo sobre amor e perdão!

    Amar e perdoar alguém que o feriu profundamente provavelmente será uma das coisas mais difíceis que você fará. A liberdade que sentirá quando finalmente perdoar valerá toda a dor e o esforço que requer. Esse amor e perdão só podem vir com a ajuda do Senhor.

    Foi Ghandi quem disse: “Os fracos nunca podem perdoar. O perdão é o atributo do forte. ”A história do Filho Pródigo em Lucas 15 é também um maravilhoso exemplo de arrependimento de erros, perdão, amor e misericórdia, quando o pai deu as boas-vindas a seu filho perdido, mas foi encontrado novamente – Aquele que estava morto é vivificado. O milagre do amor e do perdão!

    A nossa capacidade espiritual, de amar e perdoar os outros, sem se importar com os erros que nos causaram, serão poderosamente aumentadas à medida que aumentarmos o nosso amor e a nossa presença na Santa Casa do Senhor. É no Templo onde recebemos revelação pessoal e força do Espírito Santo. É no templo onde somos ministrados pelo Senhor. É no templo onde podemos nos tornar mais semelhantes a Ele. É no templo onde podemos aprender a amar. É no templo onde podemos aprender a perdoar!

    Foi o nosso Salvador Jesus Cristo, enquanto passava as suas últimas horas nesta terra, que proferiu aquelas palavras humildes e poderosas de amor e perdão, na cruz no Calvário, que você e eu nunca esqueceremos: “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” (Lucas 23:34).

    Ao celebrarmos o nascimento do nosso Salvador, vamos ter o nosso foco nEle, e poderemos modelar a nossa vida segundo a Sua. Lembremo-nos também de que Jesus Cristo nos deu a Expiação – o maior de todos os dons e de todas as ofertas!

    Que possamos amar como Ele ama. Que possamos perdoar como Ele perdoa.